Deusa Deméter e a origem da Primavera

Feliz Encontro…
Entrando a nova estação, lembro-me do que para mim é o mais belo mito que explica o evento da primavera, o mito grego de Deméter e Perséfone.

Nos primórdios, Gaia, a Deusa Terra gerou Urano e este casou com a própria mãe com quem teve vários filhos. O problema é que Urano odiava os filhos e este ódio gerou uma revolta que fez com que Cronos, o Deus do Tempo, o filho mais novo de Urano, cortasse os testículos do pai para que este não mais fecundasse Gaia (da espuma de semen do testículo de Urano caida no mar que nasceu Afrodite, a deusa do amor).

Urano então lançou uma espécie de praga dizendo que Cronos sofreria o mesmo que Urano sofreu. E não deu outra, por conta da mania de Cronos comer todos os filhos que nasciam de sua relação com Réia, esta resolveu parir em segredo e assim nasceu Zeus, que mais tarde viria a fazer o pai Cronos tomar uma bebida que o faria vomitar todos os filhos já devorados, incluindo aí Hades e Poseidon. Estes dois, juntos com Zeus, após a luta contra o pai Cronos, viriam a dividir o
mundo, ficando Poseidon (mais conhecido como Netuno romano) com o mar e a terra, Hades com os subterrâneos e Zeus com os céus e ocupando o Olimpo, lugar de onde Zeus e seus irmãos lutaram contra Cronos.

Além destes tres irmãos, outros filhos de Cronos tornaram-se deuses importantes, como Deméter, a deusa mãe, a deusa da fertilidade. Era ela responsável pela fertilidade da terra e consequentemente, a alimentação da humanidade. Deméter teve uma filha com Zeus, Core, que certo dia, passeando pelos prados, chamou a atenção de Hades, seu tio e que encantado com a jovem, resolveu raptá-la para fazer dela sua esposa. Helio, o deus sol que tudo vê, percebe e vai até Deméter contar o que ocorreu.Deméter vai falar com Zeus, irmão de Hades e pai de Core sobre o ocorrido e este faz que não é com ele, daí que
Deméter entristecida, simplesmente abandona seu destino de semear e fertilizar a terra para vagar pelo mundo tal qual uma mendiga. Sem o poder de Deméter, a terra fica estéril, o solo não dá mais frutos e Zeus se desespera pois, e somente os gregos para terem esta interpretação no próprio mito, se a terra tornar-se eternamente estéril, os humanos morreriam e morrendo os humanos, morreriam os deuses.

Daí que Zeus vai até Hades, negociar a liberdade de Core mas esta, já havia comido as sementes de romã oferecidas por Hades, sementes estas que tinham o poder de fazer Core se apaixonar por Hades e tornar-se Perséfone, que reinaria com o esposo Hades nos substerrâneos. Sem saída, Zeus tenta e acaba conseguindo um acordo com Hades, durante um
período no ano, Perséfone voltaria a superfície para ficar ao lado da mãe e no outro, desceria para ficar ao lado de Hades.
Aceito o acordo, nasceu a primavera, que é exatamente o período em que Perséfone volta do reino dos subterrâneos para ficar ao lado da mãe e a deusa Deméter, enche o mundo de flores para celebrar sua felicidade. E assim segue o verão até o outono, quando após os frutos, o inverno chega e que é o período que Perséfone desce ao mundo subterrâneo para ficar ao lado do marido Hades.Um belo mito cheio de significados e passível de várias interpretações com análise arquetípica de cada um dos deuses envolvidos. Para mim sem dúvida, um dos mais belos mitos gregos.

Paz, Luz e bela Primavera.

Para os neopagãos, um belo período de Ostara.

Por Wagner Sinclair

Deixe uma resposta

Scroll to top
%d blogueiros gostam disto: